Quais os Efeitos da Resignação?

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

Submeter-se à vontade, aceitar, conformar-se..qual o limite da resignação?

Consultorias Renomadas Internacionalmente são realmente capazes de mapear a satisfação dos Profissionais da Aviação?

Muitas vezes, profissionais isolam sua indignação e adotam uma postura de resignação.

A luta dos comissários de bordo, por exemplo,  para manter a coerência, a serenidade e a atenção concentrada durante a realização do seu trabalho sob condições intensas tanto física quanto psiquicamente chama a atenção.

Quando o trabalho se torna fatigante, as maneiras encontradas para descarregar a tensão são as vias psíquicas e motoras (Dejours, 2010).

Pierre Marty, da Escola de Psicossomática de Paris menciona sofrimentos psicoemocionais que ocasionam “angústias, depressões, perturbações do sono, da sexualidade e perturbações somáticas mais ou menos graves como hipertensão, imunodeficiências e doenças cardiovasculares” (MARTY, 1976 apud GAULEJAC, 2007, p.221).

Máscaras do Sofrimento

O sofrimento vivenciado tem reflexos tangíveis:

–  altos números de absentismo, 

–  afastamentos por doenças de cunho psicológico.

– afastamentos também pelo presenteísmo (profissionais permanecerem na empresa além do tempo legal e por vontade própria; quando não se está fisicamente nas instalações da empresa, por exemplo, mas disponível ao telefone mesmo não estando cumprindo programações pré-determinadas na falsa crença de que está colaborando com a empresa e contrariando a lei em vigor.) 

– a dedicação exclusiva dentro e fora do avião, vitimando os profissionais que sofrem pressões das escalas de voo e chefias que “geram nos trabalhadores comportamentos de adição, estresse cultural e sentimento de invasão contra o qual é difícil se defender(…)” (GAULEJAC, 2007, p.214).

Reuniões Informais dos Tripulantes

“Um fato que não passa despercebido são as reuniões informais entre tripulações nos hotéis para o café da manhã ou mesmo dentro dos aviões durante as paradas intermediárias (escalas). 

É comum conversarem sobre a vida pessoal para estabelecer um vínculo por semelhança. 

Alguns comissários (as) trazem as fotos dos filhos e contam, com olhos brilhantes, os progressos que as crianças fazem; também é comum mencionarem os nomes e os feitos. 

Algumas vezes, embora os nomes sejam de pessoas, trata-se de animais de estimação que são cuidados e referidos como crianças; ganham brinquedos, roupas e ficam em “creches” para animais.(Mauro Santos, 2012, p.30).

Episódios como esses externam a carência, apoiando-se no grupo como um meio de contemporizar a angústia da distância e ausência de entes queridos.

Mapeamento da Qualidade de Vida dos Comissários

Não é de surpreender que, diante de um cenário tão intenso, a qualidade de vida dos comissários apresente traços como:

– longas jornadas de trabalho;

– fisiologia humana incompatível com o voo de avião, principalmente nos dias atuais onde os aviões voam a grandes altitudes, com velocidade superior aos 800 km/h e umidade relativa do ar na cabine inferior aos 6%. (Somente para estabelecer parâmetros, no deserto a umidade relativa do ar gira em torno dos 20%)

– nocivos efeitos físicos e cognitivos ocasionados pelas constantes alterações do ritmo circadiano

As implicações biofísicas são evidentes:

– impaciência; 

– dificuldades de concentração; 

– falta de disposição para atividades comuns;

– alterações significativas no sistema digestório e excretor, 

– retenção de líquidos no corpo, 

– ciclo menstrual descontrolado, 

– baixas taxas de fertilidade, 

– ciclo vigília-sono descontrolado,

– alterações de humor.

Crew Care: Domínio x Luta Contra Sofrimento

Todos os fundamentos da Psicologia conjugados com o mapeamento e estudo de pesquisas pontuais a respeito da realidade da aviação ensejaram a Consultoria Crew Care, uma proposta de desenvolvimento pessoal para profissionais que vivenciam uma realidade tão particular e repleta de desafios, como é a Aviação.

Encontrar apoio em ferramentas, técnicas e metodologias poderá fornecer as bases para superação de dificuldades próprias desse universo. 

O domínio do sofrimento termina quando se inicia uma luta contra ele, essa luta é genuína, íntima e legítima. 

Está muito mais associada ao fortalecimento mental, que poderá brotar no âmago de cada um, na medida em que se tem acesso às informações e orientação necessária, séria, imparcial e livre de julgamentos. 

Pronto para iniciar essa jornada? Entre em contato para saber mais.

Busca

Categorias do blog

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Curta nosso Facebook

Siga nosso instagram

Últimos Posts

Fechar Menu